Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sr. Solitário

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

30
Ago17

Clientes habituais

Sr. Solitário

O café é uma das bebidas mais consumidas em todo o mundo. Devido ao seu efeito estimulante, por possuir cafeína, há quem o beba para despertar, aliviar dores de cabeça e também porque se tornou num hábito o seu consumo. Estima-se que 80% dos portugueses não dispensam o seu cafezinho.

Trabalhando na área da restauração já perdi a conta a quantos cafés já tirei ao longo dos tempos em que exerço a profissão. Já conheço todos os seus segredos e todas as preferências dos meus clientes habituais.

 

Mal avisto a senhora Conceição vou logo tirar o seu café, já sei como ela o prefere: quentinho e cheio. "Bem apertadinho" - diz-me ela enquanto procura as moedas para me pagar. "É 60 cêntimos não é?" - pergunta-me sempre, não vá a dona ter alterado o preço!

 

O senhor Joaquim gosta dele curto e sem açúcar, por causa da diabetes. "Meteste-lhe um cheirinho?" - pergunta-me confidente. "Sim, coloquei" - respondo-lhe com um sorriso e pisco-lho o olho como quem diz: o nosso segredo está guardado!

A D. Maria gosta do café em chávena escaldada, ao contrário da D. Mercedes que gosta dele em chávena fria. Por vezes, quando o tempo é quente, até me pede um copo com uma pedrinha de gelo.

O senhor Horácio prefere carioca e a sua esposa uma cevadinha.

 

E vocês? Como gostam do vosso café?

 

Nota: Todos os nomes que constam neste texto foram inventados. Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência.

 

coffee_2.jpg

 

28
Ago17

D. Teresa - Isabel Stilwell

Sr. Solitário

Ter a oportunidade de ler um romance histórico que recua nove séculos no tempo para mim é um privilégio. Um mundo que só conhecemos bocadinhos, pequenos relatos, que ouvimos nas escolas, vemos em filmes e consultamos em grandiosas obras históricas.

Ao longo das páginas deste romance descobri um mundo completamente diferente, tão rico em tradições boas e más, de um Portugal ainda sem as fronteiras que hoje conhecemos como nossas.

 

D. Teresa, uma filha ilegítima do rei Afonso VI de Leão e Castela, fruto de um caso amoroso com Ximena Moniz, cresceu na corte juntamente com a sua irmã Elvira e sua meia-irmã D. Urraca, com quem veio a ter grandes rivalidades e até guerras de luta pelo poder.

"Filha de um imperador, dele herdou o feitio temperamental e a paixão pelo poder. Viúva ao 25 anos do conde D. Henrique de Borgonha, regeu com pulso de ferro o que era seu por direito. Em 1116, o papa Pascoal II chamava-lhe rainha."

 

D. Teresa foi uma mulher que não abriu mão do poder. "Uma mulher de armas, à frente do seu tempo, que governou num mundo de homens e conspirações.

Pelo seu Condado Portucalense confrontou a meia-irmã e rival rainha Urraca de Castela, o pai, a Igreja Católica, os nobres portucalenses e até mesmo o próprio filho D. Afonso Henriques. A cavalo, de espada em riste, enfrentou-o na lendária Batalha de São Mamede, em 1128".

 

Um romance que recomendo.

Dona-Teresa-Isabel-Stilwell.jpg

 

25
Ago17

O tempo que corre

Sr. Solitário

Eram 20 horas quando o céu começou a tingir-se de tonalidades pastel. Os dias começam a ficar mais curtos, pensei. Vesti um casaco quando saí de casa, o tempo arrefeceu bastante, e todo o cuidado é pouco para evitar uma constipação com estas mudanças súbitas de temperatura.

 

Daqui a nada é natal outra vez - é o pensamento que povoa na minha mente. Ainda me lembro muito bem do natal passado, parece que foi ontem, e daqui a 4 meses é natal outra vez. Como o tempo passa, é impressionante!

 

O tempo corre, veloz como um raio, se darmos por isso. Quase que nem conseguimos acompanha-lo, tão embrenhados que estamos nas nossas vidas, limitamo-nos apenas a cumprir horários pré estabelecidos, os números é que comandam o quotidiano.

Ainda ontem estava a comer as doze passas e daqui a nada já é natal outra vez.

 

thumb-1920-311701.jpg

 

02
Ago17

História de um Canalha - Julia Navarro

Sr. Solitário

Este foi o primeiro livro que li desta autora e devo dizer que fiquei logo fã desde as primeiras páginas. É algo que não sei explicar muito bem, a sua escrita é tão envolvente, tão marcante, que dificilmente conseguimos parar de ler. Há muito que já não lia um livro assim.

 

Esta é a história de um homem completamente sem escrúpulos, desprovido de sentimentos, que não olha a meios para atingir os seus objetivos. É capaz de tudo para conseguir o que quer...

É um romance completamente diferente daquilo a que estamos habituados, em que a personagem principal é sempre uma vítima e que lhe acontece tudo e mais alguma coisa... neste romance os papeis são invertidos e testemunhamos ao longos destas páginas, na primeira pessoa, a vida e os atos de um vilão.

 

Dos melhores romances que já li, sem dúvida nenhuma! Muito bom.

navarro.png

 

Mais sobre mim

foto do autor

Links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Este blogue tem direitos de autor

Copyrighted.com Registered & Protected 
AV4F-DECN-50AT-8KBU

A ler...

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D