Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sr. Solitário

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

Sr. Solitário

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

28
Jun16

Gentes da minha terra #01

Sr. Solitário

Hoje vou falar do Sr. António. Um senhor com cerca de 65 anos, divorciado à pouco tempo, que reaprendeu a viver sozinho. Tem nacionalidade venezuelana mas reside em Portugal já há bastantes anos. Já trabalhou em muitos escritórios, altos cargos, agora está aposentado e recebe uma parca reforma.

 

O Sr. António tem sempre muitas histórias para contar e eu adoro ouvi-las. Ouço-o atentamente, sem o interromper para ele não perder o raciocínio, pois eu quero absorver sempre tudo o que ele diz. Com o seu sotaque venezuelano, fumando a sua cigarrilha, as suas histórias fazem-me recuar no tempo, o tempo da sua juventude, outros tempos bem diferentes de agora, contados com paixão, ponderação, cativando assim o seu ouvinte.

 

As histórias que mais adoro ouvir são aquelas que ele conta aquando a sua estadia na tropa. Momentos difíceis de recordar, dificuldades inacreditáveis, difíceis de imaginar, mas nunca pus em causa a veracidade delas.

Diz-me, de olhos marcados pelo sofrimento, que dormiu imensas vezes ao relento, ao frio; bebia água das poças, perdia-se nas florestas e tinha que encontrar o caminho de regresso sozinho, sem comida, sem bens essenciais. Uma vida dura.

 

"Uma vez, estávamos todos nós sentados a limpar as nossas armas (elas tinham que ser limpas frequentemente, não podíamos deixa-las sujas, senão teríamos castigos) quando de repente, algum cadete que não trancou a arma como deveria ter feito, a fez disparar acidentalmente e o tiro acertou na nuca de um dos nossos parceiros. O rapaz, que teria uns 18 anos, não mais, morreu ali à nossa frente, ficou com a cabeça quase desfeita... nunca mais me esqueço desse momento, nunca mais!"

 

27 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D