Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sr. Solitário

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

26
Mar16

O dia amanheceu cinzento

Sr. Solitário

O dia amanheceu cinzento. Lá fora, as cores da vida são baças, exangues. Existe um ambiente pesado no ar, consigo senti-lo. Um nevoeiro denso abate-se sobre esta aldeia que está de luto e que chora aquele seu conterrâneo que perdeu a vida no trágico acidente, aquele onde uma carrinha sobrelotada de emigrantes, com destino a Portugal, colidiu, de frente, com um camião na noite de quinta-feira, fazendo doze vítimas.

 

Vinha passar a Páscoa junto da família, mas não chegou ao seu destino. Deixou duas filhas, uma ainda menor de idade que não se conforma com a morte do pai. Iria ser o útimo ano que desempenhava funções na Suiça, voltaria para Portugal de vez, para descansar de uma vida de trabalho. Quis o destino, esse maldito destino, que ele voltasse mais cedo, para o descanso eterno.

 

Não pude deixar de passar pela casa onde vive a família, hoje de manhã. Não entrei, não disse nada, faltou-me a coragem. Aquela casa está mais cinzenta que as outras, como se uma nuvem negra se abate-se sobre ela, tranformando tudo em negro.

 

Ouço alguém a chorar. Um choro de uma criança, carregado de dor. Um coração pequenino que sangra e causa uma dor insuportável!

A vida é fria, é cruel.

 

Também eu estou de luto.

 

lidando-com-morte-e-luto-perda-de-pessoa.jpg

 

18 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Este blogue tem direitos de autor

Copyrighted.com Registered & Protected 
AV4F-DECN-50AT-8KBU

A ler...

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D