Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sr. Solitário

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

19
Jan17

Que estranha forma de vida

Sr. Solitário

Os ponteiros do relógio arrastam-se lentamente. Gostava que algo os obrigasse a correr, não porque tenha pressa de viver, mas sim porque queria que aquele dia passasse rapidamente. Coloco os auscultadores nos ouvidos, a voz grandiosa e inconfundível de Amália Rodrigues invade os meus sentidos, rouba-me a atenção de uma forma tão prazenteira que fecho os olhos e deixo-me embalar nos acordes de uma triste melodia.

 

Foi por vontade de Deus que eu vivo nesta ansiedade que me assalta a alegria, que desperta o meu lado mais tenebroso, que faz de mim uma pessoa dependente, carente de afetos, carente de uma vida normal. Que estranha forma de vida tem este meu coração, que bate desenfreadamente em busca de um sentido e revolve todo o meu estômago à procura de um sítio onde se esconder.

 

Coração independente, coração que não comando... eu não te acompanho mais! Se não sabes onde vais, pára, deixa de bater, eu não te acompanho mais.

 

tempo.jpg

 

21
Out16

Poesia à mesa

Sr. Solitário

Alma perdida

 

Toda esta noite o rouxinol chorou,

Gemeu, rezou, gritou perdidamente!

Alma de rouxinol, alma da gente,

Tu és, talvez, alguém que se finou!

 

Tu és, talvez, um sonho que passou,

Que se fundiu na Dor, suavemente...

Talvez sejas a alma, a alma doente

Dalguém que quis amar e nunca amou!

 

Toda a noite choraste... e eu chorei

Talvez porque, ao ouvir-te, adivinhei

Que ninguém é mais triste do que nós!

 

Contaste tanta coisa à noite calma,

Que eu pensei que tu eras a minh'alma

Que chorasse perdida em tua voz!...

 

Florbela Espanca

20
Out16

Nu

Sr. Solitário

Sinto-me nu. Um vento frio envolve o meu corpo magro e estremeço ao seu toque. Coloco os braços em redor do meu pescoço e fecho os olhos sentindo a sensação de liberdade que me transforma num ser solto, desprendido de pudor. Inspiro profundamente e vejo o meu reflexo no espelho, que me devolve uma imagem que me desagrada. Não gosto do meu corpo, é magro demais, é disforme, é triste, não tem cor.

 

Sinto-me nu, transparente. Os meus lábios estão secos, o meu rosto imberbe aparenta marcas de sorrisos, lágrimas, sentimentos. As minhas emoções estão à flor da pele e os meus pelos eriçam-se arrepiados. Não necessito de uma visão raio X para contar as minhas costelas, elas mostram-se perfiladas na minha pele branca. Os meus cotovelos e os meus joelhos são proeminentes, esticando a pele quando fletidos.

 

Sinto-me nu. Visto-me de palavras, palavras simples que tatuo no meu corpo e permaneço mudo. Adorno-me de sonhos e a minha indumentária dá cor ao meu rosto, abrilhanta o meu olhar. E o dia passa.

 

nu artistico.jpg

 

14
Out16

Uma outra forma de poesia

Sr. Solitário

O Follow Friday de hoje é dedicado ao outono, nem de propósito, pois hoje li um poema na minha área de leituras sobre esta estação que é a minha preferida.

 

O meu Follow Friday de hoje vai para um blogger que conheci esta semana e do qual me tornei leitor assíduo. Recomendo e sugiro a leitura do blog do Malik, onde todos os dias somos presenteados com uma poesia escorreita que merecem todo o destaque.

 

Deixem-se levar pela magia das palavras e boas leituras.

03
Jun16

O meu silêncio

Sr. Solitário

Se pudesse dizer, se pudesse falar

Tudo aquilo o que estou a sentir

Dava voz à minha dor, ia gritar!

Para que todo o mundo me pudesse ouvir.

 

Iria chorar, eu sei que sim

Mas que posso eu fazer?

Se o destino parece estar contra mim

Não vejo solução senão sofrer.

 

Meu Deus! Estou com tanto medo!

E sinto que preciso ficar sozinho

Tenho de me calar, guardar segredo

Pois ninguém me pode mostrar o caminho.

 

Estou na dúvida, na incerteza

Será que isto pode ser real?

Não tenho uma resposta com firmeza

Mas sei que a partir de hoje, nada será igual.

 

Porque estou com este pressentimento?

Que desespero... Qual a razão?

Não posso ouvir o pensamento

Pois ele está cheio de ilusão!

 

Dentro de mim há uma esperança

De que tudo irá correr pelo melhor

Ah! Se pudesse voltar a ser criança

Iria viver a vida com mais amor!

 

Ajudem-me! Preciso sair daqui!

Levem-me para longe deste tormento

Meu amor, preciso tanto de ti...

Quero dizer-te o que sinto neste momento.

 

Não olhem para mim, quero paz!

Quero fingir que nada aconteceu

Mas será que, no fundo, sou capaz?

Sinceramente, este mundo não é o meu.

 

 

14
Mai16

Saudade

Sr. Solitário

Saudade, grande saudade

Que na minha vida ficaste

Que nos meus olhos choraste

A mágoa de não poder sentir felicidade

 

Saudade, grande sentimento

Que na minha alma ficou

Que no meu peito chorou

A tristeza de um momento

 

Talvez por não saber esperar

Ou até pedir demais

Coisas que tu jamais

Me poderias dar

 

Agora a saudade aperta

Sabendo que estás andante

Em qualquer lugar distante

Em qualquer rua incerta

 

E eu aqui fiquei sozinho

Lembrando do passado

Completamente abandonado

Sem saber do meu caminho

 

Saudade, grande memória

Fiquei triste por te ver

Porque sei que vou sofrer

Com toda esta história

 

Espero um dia ser feliz

Sem este sofrimento

Que trago cá dentro

Um sentimento que não quis

 

PalavraCantada.png

 

Mais sobre mim

foto do autor

Links

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Este blogue tem direitos de autor

Copyrighted.com Registered & Protected 
AV4F-DECN-50AT-8KBU

A ler...

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D