Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sr. Solitário

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

Sr. Solitário

Aquilo que penso. Aquilo que sinto. Aquilo que sou.

03
Set18

Ama-te como tu és!

Sr. Solitário

Durante grande parte da minha vida sempre quis agradar a todos. Mudei a minha personalidade muitas vezes, falava de maneiras diferentes utilizando expressões "da moda" que toda a malta jovem dizia, vestia-me conforme os outros diziam que era fixe, comportava-me ora como um adolescente rebelde ora como um ser humano insignificante escondido num canto qualquer sem ninguém dar por mim, um anti-social quando desistia de mim. Desisti de mim muitas vezes. Quis integrar-me em vários grupos no qual não me identificava nem um pouco, só pelo simples facto de ser aceite. Nunca lidei muito bem com uma rejeição, o que me valeu muitas ruturas de amizade.

 

Durante toda a minha vida ouvi palavras de rejeição. "És uma bicha", "és feio", "vestes-te mal, não tens roupas bonitas", "não prestas para nada", "és um inútil", "pareces deficiente", "odeio pessoas como tu", "és muito magro, deves ter alguma doença"...

 

Talvez por isso me tenha tornado numa pessoa mais fria, cheio de defesas que ninguém conseguia romper, não dava uma oportunidade a ninguém para que se aproximasse. Tudo isso me levou a um estado de solidão extremo, fiquei fechado em casa durante imenso tempo, o meu telemóvel não tocava, ninguém queria saber de mim e eu não queria saber de ninguém.

 

Ontem, sem o saber, o Daniel disse-me uma coisa muito importante para mim:

- Amo-te como tu és.

Agora, olhando para o passado, vejo que nada disso fazia sentido. Nada! Tenho alguém na minha vida que me ama tal como eu sou, com todos os meus defeitos e todas as minhas qualidades. E não é só o Daniel, hoje existem imensas pessoas na minha vida que me amam tal como eu sou! E eu ainda me pergunto como tal é possível se durante tantos anos fui rejeitado?

Eu sei a resposta. Porque nunca gostei de mim. Acreditei um tudo aquilo que me disseram, afinal se quase toda a gente o dizia, é porque era verdade...

 

Aprendi uma grande lição para a minha vida. Primeiro temos que gostar de nós próprios e só depois é que aprendemos a gostar de alguém. Gostava tanto que toda a gente percebesse isso e não sofresse tanto como eu sofri.

 

Ama-te como tu és!

17 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D